Simpósio

Simpósio: TEORIA DA LITERATURA DIANTE DOS ALGORITMOS

Cleber Araújo Cabral – Doutor, Uninter

Paulo Roberto Barreto Caetano – Doutor, Unimontes

RESUMO: O advento da técnica impactou a tradição oral e a experiência, numa ótica benjaminiana, o que ensejou o contato com a literatura via romance e a experiência individualizada com o texto literário. De lá para cá, fotografia e cinema também concorreram no protagonismo da contação de histórias. Mais recentemente, outras ferramentas subjetivadoras têm tomado de assalto a agência da ficção: séries de streamings, videogames, redes sociais, os quais usam de recursos narrativos e intersemióticos, visando impactar o leitor-usuário. Esse cenário se dá num contexto em que a memória é cada vez mais virtualizada e transferida para os equipamentos (nuvens, celulares, HDs), bem como numa passagem de um horizonte menos grafocêntrico para um mais “imagético”, como coloca Seligmann-Silva. Tais mudanças vêm criando, de um lado, uma monetização dos dados pessoais (os quais se tornam commodities) dos usuários, e, de outro, uma espetacularização do eu (figura a existir somente quando postada na rede social, exalando sucesso e alegria, num claro movimento egóico de repressão de intempéries), cujo corpo passa a ter uma extensão nova: o celular. Este, na mão constantemente, sugere que, cada vez mais, é impossível separar o orgânico do inorgânico, o real do virtual. Em suma, a ficcionalização ganha novos suportes, recursos, contornos, agentes, estímulos. Frente a essa nova etapa da técnica, frente à virtualização e algoritmização da vida, como ficam a Literatura e a Teoria da Literatura? De que modos algoritmos empenhados por plataformas de buscas e redes sociais têm afetado a maneira como produzimos, fruímos narrativas? Essas são algumas perguntas que o simpósio coloca para discussão. A memória cultural, a biopolítica, o que se entende por literatura e a relação dela com outros sistemas semióticos, bem como os impactos dos aplicativos de tradução e edição, são também temas a serem abordados, à luz da revolução tecnológica que se instala.

Palavras-chave: Algoritmo. Técnica. Experiência.

Ordem de apresentação:

12/05

15h30min: FICÇÕES TRANSMIDIÁTICAS E AS IDENTIDADES LEITORAS EMERGENTES

15h50min: ONE PIECE: AS DIFERENÇAS ENTRE LEGENDA E DUBLAGEM

16h10min: CYBERLITERATURA E SOCIEDADE EM MESSIAS BOTNARO

16h30min: DE FADA À BRUXA: CHIFRES, CORVOS E DIGITALIZAÇÃO DA VIDA EM MALÉVOLA

16h50min: BRASILIANA STEAMPUNK: UMA RELEITURA TRANSMÍDIA DE CLÁSSICOS DA LITERATURA BRASILEIRA

13/05

15h30min: FUNÇÃO-AVATAR E CÓDIGO ABERTO NO MANIFESTO COPISTA, DE JOANIM PEPPERONI E MESSIAS BOTNARO

15h50min: CULTURAS CÍBRIDAS: O LIVRO E OS ALGORITMOS

16h10min: FICCIONALIDADE SIMULATÓRIA: PERFORMANCE EM SIMULACROS, DE SÉRGIO SANT’ANNA

16h30min: ACASO, DE KRZYSZTOF KIELOWSKI: ENTRE A CONTIGÊNCIA E A ESCOLHA